Social Icons

Featured Posts

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Gandu – Festa do Servidor Público será realizada Hoje



Em comum acordo, governo e sindicato, decidiram que o ponto facultativo em comemoração ao dia do servidor que seria terça (28), foi transferido para esta sexta (31). Com isso as festividades alusivas à categoria, também foram transferidas para a mesma data.
O evento acontecerá na AABB, hoje ás 18 horas. Na oportunidade uma programação extensa estará esperando pela classe que receberá os convites, com direito a levar um convidado cada. Logo após a solenidade que contará com participações de autoridades e convidados, acontecerá sorteios de prêmios e a festa ficará por conta de três atrações com repertórios diversificados, na seguinte ordem:
Dioney Silva (MPB e anos 60) Banda Braa´roots (Reggae) e devassas do Forró (Forró e arrocha).
Vale salientar de que esta confraternização tem a participação, do SINSERG, Prefeitura e câmara municipal, que juntos proporcionarão a integração entre o funcionalismo público.

Mas tudo isso não será tão importante, quanto a presença e participação do homenageado do dia, que é o próprio servidor público municipal.

Gandu – Prefeito concede entrevista e fala sobre obras paralisadas e futuro político



A Gandu FM sob o comando de Luiz Fernando alcançou mais uma vez, alto índice de audiência, com a entrevista que realizou nesta quinta feira (30), com o prefeito Ivo Peixoto (PCdoB) e os secretários, José Valentim e José Antônio Santana de Souza (Reisinho), não apenas pelo fato das presenças das autoridades, mas também pela forma que conduziu o programa, repassando para os entrevistados os questionamentos da população.
O gestor municipal, afirmou que, o deputado estadual que substituirá Álvaro Gomes (PCdoB), que não conseguiu sua reeleição, será aquele que conseguir a pavimentação asfáltica, do Centro da Cidade. Segundo o prefeito, o espaço do lago azul que anteriormente era ocupado pelo restaurante espaço gourmet, não será transformado em um ponto de cultura, como anseia os ativistas culturais e parte da população, mas sim, outro  restaurante com serviços de pizzaria, será instalado.
Os secretários, Reis e Valentim, foram acionados pelo chefe do executivo, para falar a respeito das obras que se encontram paralisadas, onde na oportunidade, afirmaram que o único empecilho que existe para a continuidade das mesmas, é a falta de medição por parte dos fiscais da Caixa Econômica Federal. Ainda segundo os governistas, algumas obras foram abandonadas no governo anterior pelas empresas que ganharam a licitação, tendo o atual governo tomado às medidas cabíveis para a continuidade das mesmas.
Além das perguntas formuladas pelo competente comunicador, dezenas de perguntas dos ouvintes, também foram respondidas pelas autoridades municipais. Um dos pontos que mais chamou a atenção, dos ouvintes, foi quando Ivo Peixoto afirmou em alto e bom som, de que em 2015, o projeto de saneamento básico em parceria com o EMBASA e governo do estado, com a taxa de 80%, voltará à câmara de vereadores e, que desta vez contará com o apoio da população.
Vale salientar de que o município tem a competência de criar seu próprio plano de saneamento básico, e angariar recursos sem a participação da famigerada EMBASA.




O que é o ASO - Atestado de Saúde Ocupacional?



O Atestado de Saúde Ocupacional define se o funcionário está apto ou inapto à realização de suas funções dentro da empresa. Geralmente é feito por medico do trabalho. A cada exame realizado, (admissional, periódico, mudança de função, retorno ao trabalho e demissional), o médico emitirá o ASO em duas vias. A primeira via ficará arquivada no local de trabalho, à disposição da fiscalização do trabalho. A segunda via será obrigatoriamente entregue ao trabalhador mediante recibo na primeira via.
Este documento é de extrema importância, pois, além da identificação completa do trabalhador com o número de identidade e função exercida, contém também os riscos que existem na execução de suas tarefas, além dos procedimentos médicos a que foi submetido, deixando o trabalhador e empresa cientes de sua atual condição.
O ASO deverá conter no mínimo:
- nome completo do trabalhador, número de registro de identidade e função;
- riscos ocupacionais específicos existentes ou a ausência deles, na atividade do empregado, conforme instruções técnicas expedidas pela Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho - SSST;
- indicação dos procedimentos médicos a que foi submetido o trabalhador, incluindo os exames complementares e a data em que foram realizados;
- o nome do médico coordenador, quando houver, com respectivo CRM;
- definição de apto ou inapto para a função específica que o trabalhador vai exercer, exerce ou exerceu;
- nome do médico encarregado do exame e endereço ou forma de contato;
- data e assinatura do médico encarregado do exame e carimbo contendo seu número de inscrição no Conselho Regional de Medicina.


 Dorival Silveira Junior

Convite




Para comemorar o Dia Nacional da Cultura, músicos, dançarinos, artistas plásticos, artesão, poetas, atores e militantes culturais de Gandu. Convidam a comunidade, para participar da 1ª Audiência Publica Social APS, para discutir a implantação do Espaço Cultural, sugestão: antigo prédio do Restaurante Espaço Gourmet (Lago Azul). No dia 05 de novembro de 2014, às 19 horas, no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Gandu.

Venha você também, participar dessa discussão em prol da nossa cultura.

Atenciosamente,


Movimento Cultural de Gandu

Água de gengibre emagrece e elimina gordura



Beber água com gengibre diariamente é um método eficaz de emagrecer. A mistura potente tem efeito diurético e termogênico e ajuda a eliminar a gordura corporal sem muito esforço. Além disso, ela ainda é capaz de reforçar o sistema imunológico e manter longe gripes e resfriados.
“A água de gengibre é ótima para o corpo em vários aspectos. Entre outras coisas, ela é boa porque aumenta a diurese, além de ser um termogênico que aumenta temperatura corporal e ajuda na eliminação de gordura, sem contar a enorme eficácia na melhoria da imunidade”, comenta a nutricionista Alessandra Carneiro. Basta encher uma garrafa de água e adicionar o gengibre. A quantidade ideal é de 4 a 5 rodelas da raiz, ou duas colheres do alimento ralado. “Tanto ralado, quando em lascas ou rodelas, o efeito é o mesmo. Só não indico o gengibre em pó comercializado em mercados porque contém muitos conservantes”, indica a especialista. A bebida emagrecedora pode ser consumida ao longo do dia, todos os dias. Caso opte por usar pedaços do gengibre, Alessandra dá a dica de trocar o alimento de dentro da garrafinha ao menos uma vez durante o dia para potencializar os efeitos.
Grávidas e pessoas que sofrem com hipertireoidismo não devem consumir. A nutricionista alerta ainda para a necessidade de manter uma rotina saudável e ativa para conquistar os benefícios desse termogênico, independente de qual das formas para consumir gengibre a pessoa escolher. “O gengibre não deve ser tratado como um fator isolado para emagrecer, ele é coadjuvante, auxilia por aumentar a liberação de toxinas”.
Pode aumentar também a temperatura corporal, podendo aumentar o desconforto em mulheres com menopausa e ser prejudicial para quem esteja com febre. Na gravidez deve ser evitado, a não ser que seja liberado pelo médico que acompanha a gestante. Contra indicado para quem tem cálculos na vesícula biliar. Não recomendado para portadoras de hemofilia ou que estejam fazendo uso de anticoagulantes, pois ele pode interferir na coagulação. O gengibre pode reduzir os níveis de açúcar no sangue, potencializando os efeitos de remédios utilizados no tratamento do diabetes. Por isso, diabéticos devem utilizar gengibre com cautela. Indivíduos hipertensos ou cardíacos devem utilizar com cautela e de preferência so orientação médico. O gengibre pode interferir com a digestão do ferro, de várias vitaminas, como por ex.: A, D, E e K e, em medicamentos, como tetraciclina, digoxina, sulfa e fenotiazinas. Por fim, mesmo sendo um produto natural, deve ser consumido com cautela e com moderação.


Fonte: www.bolsademulher.com


Líder do PSB diz que proposta de diálogo "não é sincera"



O deputado federal Beto Albuquerque, líder do PSB na Câmara, afirmou  que não é sincera a disposição da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) de dialogar com todas as forças políticas. "Se fosse para pedir desculpas pelas mentiras e calúnias, pelas inverdades que foram desferidas a nós ao longo da campanha, até valeria a pena sentar e conversar, mas não acredito que seja sincero por parte da Dilma esse tipo de manifestação. Acho que ela tem de tratar de governar com seus aliados e cumprir as suas tarefas", afirmou em entrevista, antes de participar de reunião do diretório estadual do PSB, na capital gaúcha. Na ocasião, ele foi presidente do PSB gaúcho.
O deputado gaúcho, que foi candidato a vice na chapa de Marina Silva, é o atual líder do seu partido na Câmara, mas ficará sem mandato a partir de janeiro. Provavelmente, participará da administração do governador eleito no Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), aliado do PSB no Estado. Beto se disse surpreso pela informação de que o presidente executivo do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, estaria entre os nomes defendidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para comandar o Ministério da Fazenda no novo mandato de Dilma, conforme reportagens publicadas nos últimos dias. "Afinal, éramos nós que tínhamos a proposta de entregar o governo aos bancos? Ou é o PT que depois da eleição volta a se encontrar com os bancos, que foram os que mais ganharam dinheiro ao longo dos 12 anos de governo petista", questionou.
De acordo com o parlamentar, não faz sentido pensar em uma proposta de diálogo com um partido que muda de opinião "tão rapidamente". Beto reforçou que, nos próximos quatro anos, o PSB fará oposição com a cara do partido. "Não vamos misturar o nosso movimento de oposição ao PSDB, ao DEM, que têm outro propósito, embora tenham recebido nosso apoio no segundo turno. Fôssemos iguais e pensássemos iguais, teríamos estado juntos no primeiro turno", explicou.

Escreve Agencia Estado


Lula faz balanço das eleições e critica imprensa



Após a presidenta Dilma Rousseff ser reeleita na eleição mais disputada desde 1989, o ex-presidente Lula passou a usar o You Tube e seus canais nas redes sociais para fazer uma espécie de balanço da corrida nacional. Em três vídeos publicados entre terça-feira (28) e hoje (30), ele afirmou que é melhor pensar na revista Veja como “pnafleto do Aécio” para “sofrer menos” por causa das reportagens publicadas pela semanal. Também criticou as manifestações racistas e separatistas observadas depois do pleito. Mesmo assim, ainda afagou os eleitores, ao comentar que eles deram “uma lição de política nos políticos”.
“Se você olhar a Veja como uma revista de informação, você fica muito nervoso com a quantidade de mentiras. Agora, se você olhar a Veja como um panfleto da campanha do Aécio, você sofre menos”, disse Lula no vídeo mais recente, divulgado hoje. Na gravação de ontem ele afirmou que não existe possibilidade de imperar “qualquer tentativa separatista”. “Isso só demonstra ignorância de quem pensa assim, só demonstra falta de sabedoria política. Porque o povo brasileiro acata o resultado eleitoral”, comentou.


Escreve Congresso em Foco

Ivete Sangalo vai lançar biografia



Em novembro, a cantora Ivete Sangalo vai lançar mais um trabalho. Não se trata de mais um CD e, sim, de um livro sobre sua vida. A biografia, intitulada “Pura Paixão”, será publicada pela Editora Agir e está sendo escrita por Jorge Velloso. No livro, autorizado por Ivete em dezembro do ano passado, a cantora preferiu contar histórias sobre sua infância, sua família e sua carreira. Os relacionamentos amorosos e um possível boato de que ela fosse homossexual não ganharam muito destaque.

Senado aprova desoneração da folha de pagamento para 59 setores



O Senado aprovou ontem (dia 29) a Medida Provisória 651, que concede uma série de incentivos fiscais. O principal deles é o que torna permanente a desoneração da folha de pagamento para 59 setores da economia. Os senadores mantiveram o texto da Câmara, porque a MP perderia sua validade no próximo dia 6. Mas o governo já avisou que vetará dois pontos polêmicos, que foram incluídos na Câmara: o que cria uma anistia a devedores condenados por desvios de recursos públicos e o artigo que amplia para 2018 o prazo para as cidades acabarem com os lixões. Agora, o texto vai à sanção da presidente Dilma Rousseff. Presidente da Comissão Mista que analisou a MP 651, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) anunciou a intenção do governo de promover os dois vetos. Ele disse que a questão dos lixões será incluída em outra MP, a 656, já com prazo diferente e prevendo recursos para as prefeituras poderem acabar com os lixões.
Governo e oposição fizeram um acordo de procedimento para votação. O PSDB e o DEM deixaram claro que eram contra a anistia dos devedores que desviaram os recursos públicos. Na prática, o artigo sobre a anistia foi mantido, mas com o compromisso de o governo vetar. Qualquer mudança faria a MP voltar à Câmara e ela perderia a validade. A MP 651, ainda, reabre por 15 dias, a partir da publicação da lei, o prazo para que contribuintes optem pelo Refis — programa de parcelamento de dívidas tributárias que prevê o pagamento desses débitos com prazos maiores e juros menores. Outro item trata da capitalização do BNDES. A pedido do governo foi incluída na MP a capitalização do BNDES até o valor de R$ 5 bilhões, com remuneração até a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP).
A MP 651 traz de volta o Reintegra, que dá a exportadores crédito de PIS/Cofins sobre as vendas de manufaturados no exterior. Pelo texto original, o crédito seria apurado mediante a aplicação de alíquota que variava de 0,1% a 3% sobre o faturamento de exportações de bens manufaturados. No Congresso, o teto subiu a 5%. O processo de desoneração da folha de pagamentos foi iniciado em 2011, com o plano Brasil Maior, para reduzir o custo da produção e da mão de obra, criar empregos e incentivar a formalização do trabalho. Em 2013, Dilma prometeu que o governo tornaria a medida de redução do custo do trabalho permanente.



ASCOM Força Sindical

Após aumento dos juros, reajuste de gasolina deve sair hoje



Depois do aumento dos juros decidido pelo Banco Central (BC), a próxima medida dura do governo deverá envolver o preço dos combustíveis. As expectativas do mercado são de que o Conselho de Administração da Petrobras decida nesta sexta-feira, durante reunião, pelo aumento de 4% a 5%, em novembro. O último foi em igual mês, em 2013, de 4% para gasolina e 8% para o diesel. Caso isso se confirme, será a segunda medida impopular do governo dias após o resultado do segundo turno da eleição presidencial. “Se isso ocorrer, indicará maior comprometimento do governo com a normalização dos preços administrados”, avaliou o economista-chefe da INVX Global Partners, Eduardo Velho.
Para o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires, mais importante do que alterar os preços é o governo “apontar para uma política clara de reajustes”, que impeça que os valores voltem a ficar defasados. Ele também espera por uma alta de preços hoje, mas acha que a tendência mais forte é de que o governo opte por ressuscitar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).
“Isso reforçaria o caixa do Tesouro, o que seria bem-vindo no atual quadro fiscal”, explicou. Os municípios, que também recebem parte do montante arrecadado, podem ampliar os investimentos em transporte coletivo, algo que vai ao encontro das exigências das ruas nas manifestações de 2013. A Cide é um tributo que começou a ser progressivamente reduzido em 2003, quando acrescentava R$ 0,28 ao litro da gasolina, até ser zerado em 2012.
Os preços do petróleo no mercado internacional baixaram neste mês, e agora estão em linha com o mercado brasileiro. Por isso, Pires não vê mais razão, do ponto de vista da Petrobras, para mudar o que se cobra nas refinarias. De janeiro a outubro, quando os valores estavam desfasados, a estatal acumulou prejuízos. Mas para zerar a conta seria necessária uma alta de 20% na gasolina. “Não se pode contar com isso, porque o efeito inflacionário seria muito alto”, sentenciou Adriano Pires.


Escreve Poder & Política