Social Icons

Featured Posts

terça-feira, 22 de julho de 2014

Gandu – Servidores trabalham sem a devida proteção




Nesta segunda (21), nossa reportagem flagrou o momento em que servidores municipais, trabalhavam há uma altura de 05 metros, sem utilizar nenhum equipamento de segurança, na reforma do prédio alugado junto a Gandu Motor, onde funciona a secretaria da educação. Por várias oportunidades o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Gandu (SINSERG), cobrou do governo municipal, as devidas providencias. Mas até o momento esta reivindicação é ignorada pelo executivo municipal, que não aceita opinião de ninguém, que não seja dos seus 03 conselheiros de confiança.
Vale salientar, que há aproximadamente 02 meses atrás, um eletricista do município, caiu de uma altura semelhante, quando concertava a torre te transmissão dos canais de televisão.  Esperamos que o senhor prefeito Ivo Peixoto (PCdoB) e, seus defensores que são pagos para defendê-lo, postando ofensas no facebook, veja esta matéria, não apenas como uma crítica, mas também como um alerta, para que cidadãos que lutam pela sobrevivência, não venham se acidentar gravemente, ou até mesmo chegar a óbito.


Gandu - Lago Azul volta a ter segurança




Há aproximadamente 02 meses, o Sindicato dos Servidores Publicos Municipais de Gandu (SINSERG), através da sua diretoria, depois de não ter êxito na reivindicação referente à permanência de guardas municipais no cartão postal da Cidade, emitiu uma nota, comunicando a população, que caso acontecesse algum tipo de depredamento ao patrimônio público, a responsabilidade seria do governo e, não dos servidores. Na ocasião, o próprio prefeito Ivo Peixoto (PCdoB), compareceu a Gandu FM e, durante uma entrevista concedida ao competente comunicador Luiz Fernando, tentou jogar a comunidade contra a entidade de classe, ao afirmar que o presidente do Sindicato, estaria fazendo terrorismo psicológico, pois no seu entendimento, não seria necessário, a presença de agentes de segurança nas imediações do Lago Azul. De modo que, em tom irônico, perguntou: “Pra que guarda no estádio e no lago, quem é que vai roubar grama nem agua?”
Passaram-se algumas semanas, até que vândalos começassem a depredar o logradouro, bem como pessoas até mesmo de outras Cidades, passaram a pescar em plena luz do dia, conforme publicamos aqui em nosso Blog.
Corrigindo a impensada decisão, o Alcaide municipal, voltou a trás, autorizando que fossem escalados guardas municipais, para manter a ordem nas imediações do nosso Lago.
Mais uma vez estamos provando que nossa preocupação é tão somente com o bem estar da nossa Cidade. Enquanto os bajuladores, entendem que somos radicais.




Luto no Brasil: Dilma sancionou lei de aborto



A presidente Dilma Rousseff sancionou no ano passado, uma lei que protege vítimas de violência sexual. A lei foi aprovada sorrateiramente no Congresso Nacional recentemente. Não há problema em leis protegendo tais vítimas. Mas, de acordo com essa lei, qualquer mulher pode obter um aborto alegando violência, e não há nenhuma necessidade de evidência médica e legal. O anúnciofoi feito no dia 1º de agosto/2013, a justificativa da sanção presidencial foi feito pela ministra Eleonora Menicucci, que explicou que as mulheres brasileiras sofrem um estupro a cada 12 segundos e que a nova lei, PLC 03/2013, será uma solução para a difícil situação delas. Mas a nova lei ajuda mais o aborto do que as vítimas de violência sexual.
Tanto Dilma Rousseff quanto Menicucci foram ativistas do aborto por vários anos. Ambas eram membros de um violento grupo revolucionário comunista nas décadas de 1960 e 1970. Ambas foram presas na mesma instituição militar por terrorismo. Após a liberação delas, eles começaram a fazer campanhas pelo aborto. Menicucci se gabou de que fez dois abortos, ainda que seja contra a lei no Brasil. Ela disse que foi treinada a realizar abortos na Colômbia em 1995.
A nova lei de aborto não solucionará a crise de estupros em massa no Brasil. A impunidade está desenfreada na sociedade brasileira. Os assassinos e os estupradores ficam impunes. Mas as pró-aborto Rousseff e Menicucci asseguraram que os bebês em gestação não ficarão impunes. A nova lei tem um jeito amplo de definir “violência sexual.” De acordo com a Dra. Damares Alves, assessora pró-vida no Congresso Nacional, a lei diz que “violência sexual é qualquer relação sexual não consentida” em seu artigo 2. A Dra. Damares disse que se uma esposa for a um hospital e disser que engravidou do marido por sexo não consensual, ela está qualificada para a condição de vítima de violência sexual.
Antes de sua eleição para a presidência do Brasil em 2010, Dilma havia assinado um termo de compromisso com os líderes evangélicos de não aprovar leis de aborto. Ela não manteve sua palavra socialista. Até a recente visita do papa e vários líderes evangélicos a Dilma não foi o suficiente para fazê-la mudar de ideia, ainda que eles nunca tivessem mencionado aborto e matança de crianças para ela.
A lei é um truque malicioso para abortistas, socialistas, feministas e mulheres sob o feitiço deles. É mais uma mentira para encobrir a violência generalizada no Brasil. Ao número enorme de assassinatos e estupros, o Brasil terá agora matanças de bebês.
O derramamento de sangue era uma marca importante no grupo revolucionário onde Rousseff e Menicucci eram membros. O derramamento de sangue é agora sua marca política.

Escreve Júlio Severo.


Opinião sobre a legalização do aborto



Hoje publicaremos o e-mail nos enviado pela leitora, Ediane Almeida Silva, emitindo sua opinião sobre a legalização do aborto no Brasil.

Senhor redator do Blog do Bozó, neste momento quero te parabenizar pela atitude acertada e corajosa, em comentar um assunto de súmula importância, mas polêmico e ignorado por parte da sociedade.
Vejo que nosso prefeito deve rever seu apoio a esta deputada que colaborou com este ato criminoso, sancionado pela presidente Dilma.
Digo sem nenhum arrependimento, que votei sim, no prefeito Ivo e no vereador Adriano costa, mas não aceito como cidadã católica, que os representantes da nossa Cidade, possam trazer para nosso meio, pessoas que atentam contra a vida, dom maior nos concedido por Deus. Principalmente contra inocentes que nem sequer podem se defender. Publicamente deixo minha opinião, e peço ao nosso prefeito que pratique aquilo que prega em seus sermões na Igreja, dizendo não a estes políticos que não tem compromisso com a vida.
Sou contra ao aborto, principalmente com esta lei que deixa vertentes para que qualquer mulher tenha direito a abortar, sem ao menos precisar apresentar um boletim de ocorrência, como fora estuprada. Mesmo estuprada, qual a culpa que tem o bebê?




BAHIA - Paulo Souto e Geddel inauguram comitê em Salvador



O comitê central da coligação “Unidos pela Bahia”, formada pelos candidatos Paulo Souto (governador), Joaci Góes (vice) e Geddel Vieira Lima (senador), será inaugurado nesta quarta-feira (23), às 20h, em Salvador. Localizado na Avenida ACM, nº 3305, o espaço tem 1,5 mil metros quadrados de área construída e vai concentrar as atividades de campanha da chapa majoritária oposicionista. A inauguração vai contar com a presença do prefeito ACM Neto, de Salvador, além de políticos, lideranças e militantes dos 15 partidos que formam a coligação “Unidos pela Bahia”. No comitê central, vão funcionar sete coordenações: geral, administrativo-financeira, interior, mobilização, eventos, transporte/material e propaganda de rua. Para o coordenador geral de Salvador, Léo Prates, o comitê foi planejado desde a sua localização para dar agilidade e dinâmica às atividades de campanha, fazendo chegar à população, com eficiência e facilidade, o material dos candidatos da chapa majoritária. Prates destaca ainda a utilização do comitê móvel, experiência bem sucedida na campanha de ACM Neto, em 2012, que estará sendo replicada agora. O comitê móvel consiste numa van, com som, e uma equipe que circula pelos bairros da cidade distribuindo material de propaganda e divulgando as propostas dos candidatos. A coordenação do interior ficará sob o comando de Marcelo Neves e Vitor Azevedo. Segundo Neves, da capital será feito o acompanhamento dos comitês localizados nas 20 principais regiões da Bahia, onde precursores estarão encarregados da preparação de eventos, fiscalização e distribuição de material de campanha por todos os municípios desses territórios.


Escreve Política Livre

Sessão solene 28 de julho, aniversário de Gandu.




Prévia da inflação oficial desacelera em julho, diz IBGE.



Preços de transportes e de alimentos caíram e influenciaram o índice. No ano, o IPCA-15 ficou em 4,17% e, em 12 meses, em 6,51%.
Os transportes e os alimentos ficaram mais baratos e influenciaram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), conhecido como prévia da inflação oficial. A taxa ficou em 0,17% em julho, depois de avançar 0,47% no mês anterior, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano, de janeiro a julho, o IPCA-15 ficou em 4,17% e, em 12 meses, em 6,51%. O número está perto do teto da meta de inflação do Banco Central, de 6,5%. Em julho de 2013, a prévia da inflação oficial havia ficado em 0,07%.
O IPCA-15 é divulgado mensalmente e calcula a variação média de preços de produtos e serviços em 11 regiões metropolitanas do país. A diferença entre esse índice e o IPCA, que é a taxa oficial de inflação do Brasil, está no período de coleta dos preços. Em vez de analisar os valores dentro do mês de julho, por exemplo, o IPCA-15 verifica os preços do dia 15 de junho ao dia 15 de julho. Por isso, é considerado uma prévia da inflação mensal. Entre as despesas analisadas pelo IBGE, as relativas a transportes exerceu a principal influência para o resultado do IPCA-15 no mês de julho. Depois de subir 0,50% em junho, o índice caiu 0,85% no mês seguinte.
A variação de preços de alimentação e bebidas também contribuiu para a desaceleração do IPCA-15, ao passar de um avanço de 0,21% para uma baixa de 0,03%.


ASCOM Força Sindical

'Já fomos os melhores', diz Dunga ao ser anunciado.



A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou nesta terça (22) que o novo técnico da Seleção Brasileira será Dunga. O ex-jogador vai substituir Luiz Felipe Scolari no comando da comissão técnica, duas semanas depois do fim da Copa do Mundo.
O nome já era dado como certo pela imprensa nacional, apesar de não ter sido apontado abertamente por membros da CBF. Ao anunciá-lo, o presidente da confederação, José Maria Marin, destacou a experiência de Dunga na seleção: "Ficou demonstrada através de números, não apenas de palavras, de que possui todos os requisitos e capacidades para dirigir novamente a seleção brasileira".
Na coletiva de anúncio, Dunga disse que vai buscar resultados, mas afirmou que não vai vender um sonho: "Não temos que achar que somos os melhores. Já fomos os melhores. Temos que resgatar novamente essa capacidade e temos talento para isso. Temos que ter a humildade de reconhecer que outras seleções trabalharam muito, por muitos anos para chegar aonde chegaram e temos que trabalhar arduamente para reconquistar o direito de estar entre os melhores do mundo".
Com a nomeação, Dunga inicia o segundo período à frente da Seleção Brasileira. Capitão da seleção do Tetra, em 1994, ele comandou a equipe entre 2006 e 2010, período em que foi campeão da Copa América e da Copa das Confederações, mas foi desclassificado nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, e conquistou a medalha de bronze nas Olímpiadas de Pequim, em 2008.

Como técnico da seleção, Dunga ganhou mais que perdeu, com 42 vitórias em 60 partidas disputadas. O Brasil comandado pelo técnico gaúcho empatou 12 vezes e perdeu seis, para as seleções de Portugal (amistoso), México (Copa América), Venezuela (amistoso), Paraguai (Eliminatórias), Holanda (quartas de final da Copa do Mundo) e Argentina (amistoso).

Mulheres continuam sendo minoria na política com apenas 30% das candidaturas registradas



A cada 10 candidatos das eleições de 2014, apenas três são mulheres, divulgou nesta segunda-feira (21) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Dos quase 25 mil postulantes a vagas de presidente, governador, senador e deputados, 29,7% (7,4 mil) são do sexo feminino. Mesmo baixa, a proporção já é maior do que a registrada nos últimos pleitos. Com a assinatura da Lei nº 12.034, em 2009, cada partido passou a ter, obrigatoriamente, uma reserva de no mínimo 30% de candidaturas para cada sexo. Com a definição, o número de mulheres que pleiteiam vagas atingiu alta de 841,3% em 20 anos. Nas eleições de 1994, elas representavam apenas 6,9% dos inscritos para a disputa eleitoral.


Informações do G1.